terça-feira, 3 de novembro de 2015

O que é Coaching - Geólogo Elias Santos Junior Self-empowerment Coaching





Coaching[1] é uma palavra em inglês que indica uma atividade de formação pessoal em que um instrutor (coach) ajuda o seu cliente (coachee) a evoluir em alguma área da sua vida.



O conceito de coaching surgiu nas universidades norte-americanas para definir um tutor particular. O coaching preparava os alunos para exames de determinada matéria. Com o tempo passou a ser usada também para se referir a um instrutor ou treinador de cantores, atletas ou atores. A palavra coaching vem da palavra inglesa "coach" e significa treinador. Esse treinador tem o objetivo de encorajar e motivar o seu cliente a atingir um objetivo, ensinando novas técnicas que facilitem seu aprendizado.



O termo coaching apareceu pela primeira vez na era medieval, com a figura do cocheiro, o homem que conduzia a carruagem (coche) para algum lado. Os cocheiros também eram especialistas em treinar os cavalos, para que estes puxassem os coches.



O trabalho de coaching inicia-se criando uma meta desejada pelo cliente, e essa meta pode abranger as mais diversas áreas e normalmente não existe um tempo determinado para esse objetivo ser atingido e tem o objetivo de ajudar profissionais de qualquer área a maximizar seu potencial e trazer mais resultados para sua empresa ou para o próprio desenvolvimento do seu trabalho.



Um tipo de coaching bastante procurado é o "coaching de liderança", uma qualidade cada vez mais valorizada. No coaching de liderança, o gestor procura orientar seu colaborador no seu desempenho, usando metas claras para criar alvos mensuráveis, além de reconhecer potenciais e desenvolver competências da sua equipe. Também envolve-se na aprendizagem da sua equipe, encaminhando e recebendo comunicações para resultados excelentes.




O coaching pessoal aborda, como o próprio nome indica, a área pessoal da vida de um indivíduo, como os seus relacionamentos pessoais. É por isso uma área muito abrangente, porque lida com vários tipos de interação do cliente com o seu meio envolvente.




O Termo Coach[2] é uma palavra em inglês que significa treinador, instrutor e pode também ser um tipo de ônibus.



Em inglês, quando usada como verbo, a palavra coach significa treinar ou ensinar. Além disso, um coach ou coacher é um profissional que exerce o coaching, uma ferramenta de desenvolvimento pessoal e profissional.



Um coach pode ser uma pessoa que treina um atleta ou conjunto de atletas: a soccer coach - um treinador de futebol. Pode também ser uma espécie de tutor privado que prepara um aluno para um determinado exame ou uma pessoa que instrui um ator ou cantor.



Quando relacionado com o coaching, o coach é um profissional qualificado e que utiliza metodologias, técnicas e ferramentas do coaching para o benefício de uma empresa ou de um indivíduo, quer na sua área pessoal ou profissional. O coach trabalha com um coachee (aprendiz ou aluno) com o objetivo de desbloquear nele dons e habilidade já existentes.




Para o Instituto Brasileiro de Coaching[3]Coaching é um processo de desenvolvimento humano, pautado em diversas ciências como: Psicologia, Sociologia, Neurociências, Programação Neurolinguística, e que usa de técnicas da Administração de Empresas, Gestão de Pessoas e do universo dos esportes para apoiar pessoas e empresas no alcance de metas, no desenvolvimento acelerado e, em sua evolução contínua.



A palavra Coaching significa “treinamento”, tem origem na língua inglesa (Coach) e foi utilizada pela primeira vez na cidade de Kócs, na Hungria, para designar carruagem de quatro rodas. No século XVIII os nobres universitários da Inglaterra iam para suas aulas, conduzidos em suas carruagens por cocheiros chamados – Coacher. Por volta de 1830 o termo coach passa a ser utilizado na Universidade de Oxford como sinônimo de “tutor particular”, aquele que “carrega”, “conduz” e “prepara” os estudantes para seus exames. Em 1831 o termo Coaching foi usado pela primeira vez no âmbito dos esportes. Em 1950 o termo é usado pela primeira vez na literatura de negócios, como uma habilidade de gerenciamento de pessoas.”





Para a Sociedade Brasileira de Coaching[4] “Há muitos que confundem o conceito de Coaching com autoajuda, psicoterapia ou até mesmo com programas de caça-talentos (headhunters). Isso se deve, principalmente, ao fato de o Coaching ainda estar em difusão no Brasil. Mas esse quadro está mudando, já que esse tipo de processo segue em franca expansão. Em 2009, por exemplo, cresceu 300% no país.



Ainda de acordo com a Sociedade Brasileira de Coaching “Para entender melhor o conceito de Coaching, é necessário ter em mente que se trata de um processo de começo, meio e fim, que foca sempre no futuro. Neste ponto, é totalmente diferente da psicoterapia. Esta última visa entender a origem dos problemas das pessoas para, a partir daí, começar algum tipo de tratamento que auxilie a superá-los. Já o Coaching se preocupa em desenvolver as habilidades e percepções dos clientes, para que estes encontrem por si só a saída de seus problemas. As origens destes não são tratadas durante uma sessão e as metas futuras são sempre prioritárias.



Na Plataforma WIKIPEDIA[5] consta que a palavra Coaching na língua inglesa (Coach) foi utilizada pela primeira vez na cidade de Kócs, localizada no condado de Komárom-Esztergom na Hungria, para designar carruagem de quatro rodas. No século XVI, começou a produzir essas carruagens que se tornaram as mais cobiçadas da época por seu conforto – elas foram as primeiras a ser produzidas com suspensão feita de molas de aço. Assim, as carruagens de Kocs eram chamadas de kocsiszeker. Os nativos dessa cidade também são chamados de kocsi. E é esse vocábulo que os ingleses entendiam como "coach"



Com o passar do tempo, surgiu uma metáfora. Do mesmo modo que a carruagem leva as pessoas aos diversos campos geográficos, o coach era a forma como se chamava o tutor que conduzia outras pessoas pelos diversos campos do conhecimento. Conta-se também que as famílias muito ricas, quando em longas viagens pela Europa, levavam servos no interior da carruagem, que liam em voz alta para as crianças o que elas tinham de aprender. Esse servo passou a ser chamado de coach também.



No século XVIII os nobres universitários da Inglaterra iam para suas aulas, conduzidos em suas carruagens por cocheiros chamados – Coachers. Por volta de 1830 o termo coach passa a ser utilizado na Universidade de Oxford como sinônimo de “tutor particular”, aquele que “carrega”, “conduz” e “prepara” os estudantes para seus exames.



Sendo assim, o termo se relaciona ao processo de desenvolvimento pessoal promovido por um tutor é conhecido como Coacher.



Existem vários conceitos de Coaching, abaixo alguns exemplos que englobam a maioria dos significados que foram atribuídos ao termo achados em pesquisas.

  • “Ajudar a pessoa a mudar na maneira que ela quer, ajudando-a a caminhar na direção que ela quer ir. O coaching apóia a pessoa em todos os níveis do processo de tornar-se quem ela quer ser e ser o melhor que ela pode”.

  • “O Coach garante o apoio que faz as pessoas brilharem, ajudando a descobrirem e atravessarem a ponte entre seus sonhos, metas e sua realização. Ampliam a tomada de consciência e autoconhecimento, identificando com clareza o estágio atual e o que desejam alcançar e, como alcançá-lo, levando a ação. Resultado de métodos comprovados de fácil aplicação para motivação, ajudando a eliminar obstáculos, abrindo caminho para o alcance de metas definidas através de um plano de ação”.

  • "Ele propicia um veículo que conduz a ocorrência do aprendizado organizacional e à busca ativa dos interesses legítimos de todos os stakeholders por parte das pessoas em toda a empresa.”

  • “É a metodologia que troca uma cultura de “poder sobre” as pessoas por outra onde se desencadeia o “poder dentro” das pessoas.
  • Segundo Benton (2000), o Coach não é um amigo, um conselheiro, um professor, um chefe, um mentor, nem um colega de profissão, embora num outro momento possa ser um pouco de cada uma dessas coisas. É alguém que instrui particularmente, visando preparar uma pessoa para um trabalho específico ou importante.
  • Sendo assim, o coaching pode ser realizado por profissionais que possuam experiência de vida pessoal e profissional rica de realizações bem e mal sucedidas, sólida formação acadêmica, conhecimentos multidisciplinares nas áreas de gestão (de pessoas, empresarial e do tempo) e de comportamento, (conhecer os pontos de vista: neurobiológico, behaviorista, cognitivo, psicanalítico, fenomenológico, analise transacional, PNL e dinâmica de grupo); automotivado para aprender continuadamente e desprendimento para contribuir para que o mentoriado tenha sucesso profissional. Que construa com o cliente uma relação de confiança. Seja ético, integro. Essencialmente, que tenha amor pelo mentoriado. Requisitos impossíveis de serem adquiridos em curso de curta duração.
  • É uma abordagem de desenvolvimento humano e profissional que tem como objetivo apoiar profissionais de qualquer área de atuação a maximizar seus resultados com base na otimização de seus próprios recursos técnicos e emocionais.
  • Com fundamento no desenvolvimento de competências técnicas e emocionais, o coach atua como um "olho externo" para seu cliente. Apoiando-o em seu autoconhecimentopor meio de um ângulo novo de visão.
  • O coaching pode funcionar como uma forma de estímulo e acompanhamento a longo prazo adaptada às necessidades de desenvolvimento pessoal. Acompanhamento profissional de pessoas em diferentes profissões e contextos.
  • Também envolve a contribuição para a estabilização e o desenvolvimento contínuo do procedimento profissional. Fomento para a motivação, o rendimento, a capacidade de comunicação e o sucesso, aproveitando as capacidades e os conhecimentos comuns do coach e do cliente.
  • De forma geral o Coaching é uma medida inovadora do desenvolvimento de recursos humanos e instrumento para desenvolver a capacidade de aprendizagem de uma empresa.

Autor: Professor Elias Santos Junior
Geólogo da Ghaia Soluções Ambientais
Self-empowerment Coach



[3] http://www.ibccoaching.com.br/tudo-sobre-coaching/coaching/coaching-conceito-e-significado/. Acesso em: 14/06/15

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Self-Empowerment Coaching - Professor Elias Santos Junior - Geólogo & Coach



Self-Empowerment Coach
Professor Elias Santos Junior - Geólogo & Coach

O nicho de coaching em que estou atuando tenho denominado de Self-Empowerment Coach, no meu conceito trata-se de uma técnica de Coach para Empoderamento Pessoal a qual tenho apresentado em forma de palestras motivacionais, reuniões de coach-group, como também nas seções de coaching (Peer Coaching) realizadas durante o processo de elaboração deste trabalho de conclusão de curso, assim como nas sessões de coaching formais e informais com meus coachees.


Atuo desde 2001 como professor de nível superior em cursos de graduação e pós-gradução e algo que vinha me chamando atenção nos últimos anos é o crescente descomprometimento dos acadêmicos com suas atividades e principalmente com o baixo índice de aproveitamento dessa massa no mercado de trabalho.


Tal fato me instigou a estudar o mercado de trabalho da área da Geologia, Biologia, Petróleo e Gás mais a fundo buscando entender o motivo do abismo entre a Universidade/Empregador, assim como desenvolver novas ferramentas para tentar diminuir esse gap. A partir do maior conhecimento do mercado tornei-me palestrante nas áreas em que atuo tendo participado da organização e apresentação de vários eventos na cidade de Manaus e em Congressos e Simpósios Nacionais.


Contudo, em 2013 insatisfeito com os rumos que esse trabalho estava tomando, assim como, com os resultados que os acadêmicos estavam obtendo passei a buscar o aprendizado de novas técnicas e metodologias, ocasião em que conheci o Coaching.


A partir desse momento passei a fazer a mescla nas palestras e aulas do conteúdo da disciplina com a apresentação de vídeos e telas motivacionais visando buscar melhores resultados juntos aos acadêmicos apáticos e desinteressados, chegando a tal ponto que em determinados momentos o conteúdo da disciplina acabava sendo negligenciado em função de tantas aulas motivacionais.


Ao participar do curso de Professional & Self Coach acabei conhecendo ferramentas que passaram a ser utilizadas nas palestras e aulas atingindo resultados melhores que antes do curso, porem ainda assim existe um freqüente “medo” que permeia a vida dos acadêmicos alem de um descrédito com o futuro.


Com base nisso busquei um nicho de mercado em coaching que pudesse ser aplicado em casos semelhantes, primeiramente denominamos de empowerment coach (coach de empoderamento), porem ao realizar as pesquisas visando conceituar esse segmento percebi que o mesmo é utilizado comumente em empresas onde os lideres são centralizadores e passam pelo processo para conseguir descentralizar as decisões, no meu entendimento não é o mesmo enquadramento de mercado, o que me fez acrescentar a palavra SELF ao termo.


O Self-empowerment Coach é um processo que visa o fortalecimento da autoestima do individuo possibilitando-o enfrentar os mais diversos desafios.


Berni[1] cita que “Em termos ocidentais, talvez uma das formas mais eficazes de se trabalhar o Coaching seja pelo empowerment. Este conceito surgiu nos anos 1980 e ainda é muito mal compreendido nas organizações. Empoderar – talvez seja a melhor tradução para o termo – significando conceder ou atribuir poder ao outro. Neste sentido, qualquer tipo de coaching, seja ele, pessoal, esportivo, organizacional pode levar ao empoderamento de modo que o coachee consiga acessar seus potenciais, seu poder pessoal e atualizá-lo. É neste sentido que trabalha a liderança servidora de James Hunter. Trata-se, pois de uma perspectiva que aponta antes de tudo para o self-empowerment, ou autoempoderamento, visto que a distinção vida pessoal x vida profissional é uma ilusão. Quanto mais as pessoas seguirem a máxima que estava escrita no templo de Apolo, em Delfos na Grécia – “Conhece-te a ti mesmo”, mais felizes e poderosas serão.”


Nesse mesmo artigo Berni conceitua Self-Empowerment como sendo “uma metodologia de Personal Coaching basicamente realizada pela Internet. Uma proposta pautada pela Abordagem Centrada na Pessoa e pela Psicologia Transpessoal. Um processo em três etapas onde (a) realiza-se um levantamento biográfico para acessar as potencialidades; (b) os potenciais passíveis de atualização e os bloqueios são descortinados por meio do Jogo da Transformação; e (c) realiza-se um plano de ação calcado em dados da realidade.”


Com base nisso decidi atuar nesse segmento no qual tenho atuado com Consultores, Corretores de Imoveis, Atletas, Professores, alem de estar realizando palestras com temas ligados ao coaching, tais como: Coaching Education, Coaching aplicado ao meio ambiente, Coaching e carreira, entre outras.


Então, se você tiver interesse em conversar mais sobre esse tema, entre em contato deixando um comentário ou enviando um email para ejunior13@hotmail.com.

Finalizo te fazendo uma pergunta:


"Quando foi a ultima vez que você fez algo pela primeira vez?"

Saudações!!

Prof. Elias Santos Junior
Geólogo & Self-empowerment Coach



[1] Luiz Eduardo V Berni é Doutor em Psicologia pela USP e criador do Self-Empowerment. Autor do artigo “DESCORTINANDO O COACHING PELO SELF-EMPOWERMENT”. Disponivel em:  http://www.boog.com.br/artigos/descortinando-o-coaching-pelo-self-empowerment. Acesso em 14/06/2015.

Análise de Comportamento – Teste de Perfil Comportamental


Se você fosse um animal, qual você seria?

E se dentro dessa fauna tivéssemos um Lobo, uma Águia, um Gato e um Tubarão, qual deles você seria?


De acordo com o Instituto Brasileiro de Coaching “Ninguém é igual a ninguém. Todo o ser humano é um estranho ímpar”, refletiu o poeta Carlos Drummond de Andrade. E não por acaso cada um de nós tem seu modo de formar seus valores, comportamentos e de enxergar a vida.


Ao longo de nossa vida desenvolvemos nossas percepções das pessoas e do mundo ao nosso redor, influenciados por nossos pais, família, amigos, religião, grupos sociais, como também pela negação ou aceitação dos valores da sociedade onde estamos inseridos.


Em minhas aulas e palestras costumo aplicar essa interessante ferramenta para determinação do perfil comportamental dos participantes, é importante salientar que o teste reflete uma situação ocasional e que o perfil pode mudar com o passar do tempo, desde que você passe a mudar a forma como encara as coisas.

Vamos tentar? acesse o link do IBC e responda o questionário (é preciso estar logado no Facebook).







Se importaria de compartilhar seu resultado? Se preferir pode me enviar por email (ejunior13@hotmail.com).

Saudações!
Professor Elias Santos Junior
Geólogo & Self-empowerment Coach





sexta-feira, 19 de junho de 2015

CONSELHOS DE PUTA VELHA - Um texto para as mulheres



CONSELHOS DE PUTA VELHA.




Não se esforce demais. O lingerie de seda, o perfume importado e o jantarzinho a luz de velas com vinho caro é para quem merece. Algumas mulheres têm mania de pegar um ficante que encontrou há a uma semana na balada, levar pra casa e tratar como um rei. Tratamento vip é para namorado firme e marido, se merecerem. Porte-se como uma joia rara e como tal não se doe facil...mente para o primeiro que aparecer, não importa o nível da sua carência, seja valiosa.
Pare de ser tão boazinha. Abrir mão do que gosta, mudar o jeito de ser, deixar de se divertir, só porque começou um relacionamento e está apaixonada? Homem gosta de mulher com vida própria, orbitar em volta dele é receita certa para o fracasso, ele pode momentaneamente demonstrar que gosta deste estilo, mas logo se cansa. No fim você perde o namorado e os amigos. Sem contar que ele não vai abrir mão de assistir futebol para ficar com você. Use o mesmo critério para lidar com ele e no fim ele estará te acompanhando em tudo, feliz da vida, afinal é muito bom estar ao lado de pessoas que tem vida.

Pare com os joguinhos. Os casais perdem a oportunidade de se conhecer de verdade e sem máscaras. Está manjado demais transar só no terceiro encontro, não responder a mensagem antes de 60 minutos, só atender o telefone no quinto toque, fazer ciúmes sem necessidade e fingir que não dá a mínima.

Encontrar o equilíbrio entre ser disponível demais e ser inacessível está difícil. Ninguém mais demonstra interesse e tesão pelo outro de forma saudável. Nunca sabemos se o outro não liga no dia seguinte porque não está interessado ou porque está se fazendo de difícil para valorizar o passe. Ter tato para não perder a dignidade e saber a hora de bater em retirada é importante, mas um pouco de transparência e sinceridade não faz mal a ninguém. Se for fazer joguinho, seja inteligente, crie novos truques, pois alguns já estão batidos demais.
    
Jamais se rebaixe. Não importa qual foi a traição, a culpa é do seu parceiro e não da “vagabunda” que ele comeu, a não ser que ela tenha colocado um revolver na cabeça dele. Essa história de mulher bater na amante é ridícula. Nenhum homem é digno de escândalos e manifestações públicas de ciúmes, isso inclui as indiretas nas redes sociais. Mesmo que tiver chorando lágrimas de sangue, fique em cima do salto, ninguém precisa saber da sua condição miserável, não dê esse gostinho para as inimigas e para algumas amigas falsas e invejosas. Aprenda, para algumas pessoas só contamos as vitórias!
    
Seja você mesma. A performance do filme pornô de quinta categoria não precisa necessariamente ir para sua cama, nada mais patético que a mulherada que finge orgasmo e ainda quer contar vantagem “ pras amiga”. Sem contar que se a coisa for forçada demais o homem percebe. Já ouvi depoimentos de caras que simplesmente brocharam em situações assim. Nada contra quem gosta do estilo e faz porque realmente gosta e está com vontade, mas tudo que é falso e feito somente para tentar impressionar o outro pode gerar efeito contrário.
    
A diferença entre ser feminina e mulherzinha. Homem quer ser homem, o chefe da casa. Suba na cadeira e chame o gato pra matar a barata, peça-o para abrir a conserva de azeitona e trocar a resistência do chuveiro (essa é uma lição que ainda não aprendi). Quando o macho alfa terminar, não esqueça de agradecer e elogiar tanta virilidade Não importa se você é presidente de uma multinacional e ganha cinco vezes mais que ele, seu parceiro vai adorar uma mulher feminina que o valorize enquanto homem e que o faça sentir-se útil (isso se ele merecer). A mulherzinha olha a marca do carro, dá golpe dá barriga e é manipuladora, faz escândalo por qualquer coisa, quebra as finanças do parceiro, requer atenção total, mas é afetivamente mesquinha, só recebe. Mulherzinha, ai que preguiça! Para os leitores que levam tudo ao pé da letra, é claro que esse é um exemplo, existem infinitas possibilidades para valorizar um homem, e não podemos limitá-los apenas a matadores de baratas e abridores de conservas.
    
Escolha bem seu parceiro use a razão não só o coração. A mulherada lutou e luta tanto por igualdade, mas hoje tem jornada dupla e até tripla para dar conta da vida profissional, casa, filhos e marido. Queria saber onde está a igualdade nisso, pois enquanto a mulher se desdobra, muitos maridos estão no sofá assistindo tv ou no bar com os amigos. Quando for se relacionar com alguém, antes de se envolver loucamente em um amor de pica sem fim, preste muita atenção na sogra, veja como ela trata os filhos. Dá tudo na mão, recolhe os sapatos e meias sujas pela casa, faz o pratinho de comida com o feijão em cima, lava as cuecas, defende cada um até a morte mesmo que estejam errados? Se for esse o caso, AMIGA CORRAAAAA! Caso contrário, você será uma forte candidata a Amélia emancipada.
    
O borogodó – Magnetismo pessoal e amor próprio vale mais que um corpo sarado. A mulherada está caprichando tanto no treino, na lipoaspiração e no silicone, mas o número de fracassos amorosos não diminui. Outra ala se sente gorda demais e sem autoconfiança para atrair o sexo oposto, mas também não faz nada para mudar. Existem mulheres que aparentemente não possuem nada de especial, podem até ser “feias”, porém, por alguma razão os homens caem aos seus pés. Esse magnetismo em algumas mulheres vem de onde? O que elas têm é independência emocional, se apoiam sozinhas, se bastam, tem outras metas além de agarrar um homem, estudam, trabalham, viajam e são felizes sozinhas ou acompanhadas. Não vivem carentes chorando pelos cantos, não são cheias de mágoas, não pegaram ódio dos homens por conta de decepções do passado. Aconteça o que acontecer, essas mulheres estão sempre de cabeça erguida e tem uma vida que não se limita apenas em se arrumar para encontrar um macho.
    
Seja uma puta entre quatro paredes e o que quiser na sociedade. Afinal o que é ser uma dama na sociedade? A Amélia emancipada devotada à família, a esposa renegada que trabalha que nem camela para dividir com o marido as contas de casa? Tem algo mais irritante que estereótipos do que é ser uma boa mãe e esposa? E a quantidade de cobranças que recebemos quando não atendemos esse modelo? E essa mulher resignada e atarefada, consegue ser o mulherão que os homens adoram entre quatro paredes? Claro que não! Conheço casais que nunca conversaram sobre suas preferências e fantasias sexuais. Tudo bem que não é fácil manter o tesão a todo vapor 100% do tempo, mas quanto vale o seu relacionamento? Será que ele não merece um pouco mais de investimento? Nem é tão difícil assim satisfazer um homem, faça bem feito, faça com gosto, mostre que ele é desejado (se ele merecer) nem precisa se pendurar no lustre e saber todas as posições do kama sutra, basta tirar algumas horas para dedicar exclusivamente a ele, com amor, carinho e uma pitada de sacanagem, por que não? Por ele sim vale investir no jantarzinho a luz de velas, no lingerie de renda e no vinho caro.

Esse título foi inspirado por uma grande amiga, prostituta aposentada, que acumulou uma experiência de vida que poucas vezes vi igual. Na verdade, ela tem a idade da minha mãe e sempre me deu conselhos dizendo: – Ouve o conselho dessa puta velha! Por incrível que pareça, toda vez que não seguia os conselhos dela me dava mal. Esta mulher até hoje tem em suas mãos tudo que quer e um poder de atração de dar inveja a qualquer ninfeta de 20 anos, soube investir todo dinheiro que ganhou e tem uma vida mais que tranquila ao lado do grande e único amor de sua vida. E quando pensamos em puta, pensamos logo em promiscuidade e vender o corpo, mas tem muita puta por aí mais digna e honesta que certas mulheres tidas como “damas da sociedade”, mas que já se venderam mais que tudo e por muito pouco. Histórias assim são para quebrar os paradigmas e fazer repensar alguns valores, sem contar que chacoalham os puritanos, as feministas e críticos de plantão.

ISIS THOT
Ver mais
_________________________
Texto maravilhoso para ler e refletir!
Quer mais material para refletir?
Nos siga no facebook: /recicladobabitos ou no instagram: @Prof_EliasCoaching

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Pós em GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS E MEIO AMBIENTE - Professor Elias Santos Junior



Estão abertas as matriculas para a TURMA 09 - MANAUS - UNINORTE/LAUREATE do curso de Pós em GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS E MEIO AMBIENTE, um curso com grande aceitação no mercado de trabalho focado na aplicação de conhecimento ambiental para resolução de problemas.

Professores Gestores, Consultores e Analistas Ambientais com atuação efetiva na área ambiental!

Para maiores informações: Professor Elias Santos Junior - Coaching​ (whatsapp - 92 98116-5522)

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Manual para 2014 - Recicle seus hábitos!


MANUAL PARA 2014

Saúde:
1. Beba muita água
2. Coma mais o que nasce em árvores e plantas, e menos comida produzida em fábricas;
3. Viva com os 3 E's: Energia, Entusiasmo e Empatia;
4. Arranje cinco minutos por dia para rezar sozinho;
5. Faça atividades que ative seu cérebro ;
6. Leia mais livros do que leu em 2013;
7. Sente-se em silêncio pelo menos 10 minutos por dia;
8. Durma 8 horas por dia;
9. Faça caminhadas de 20-60 minutos por dia, e enquanto caminha sorria.

Personalidade:
11. Não compare a sua vida a dos outros. Ninguém faz idéia de como é a caminhada dos outros;
12. Não tenha pensamentos negativos ou coisas de que não tenha controle;
13. Não se exceda. Mantenha-se nos seus limites;
14. Não se torne demasiadamente sério;
15. Não desperdice a sua energia preciosa em fofocas;
16. Sonhe mais;
17. Inveja é uma perda de tempo. Tem tudo que necessita....
18. Esqueça questões do passado. Não lembre seu parceiro dos seus erros do passado. Isso destruirá a sua felicidade presente;
19. A vida é curta demais para odiar alguém. Não odeie.
20. Faça as pazes com o seu passado para não estragar o seu presente;
21. Ninguém comanda a sua felicidade a não ser você;
22. Tenha consciência que a vida é uma escola e que está nela para aprender. Problemas são apenas parte, que aparecem e se desvanecem como uma aula de álgebra, mas as lições que aprende, perduram uma vida inteira;
23. Sorria e gargalhe mais;
24. Não necessite ganhar todas as discussões. Aceite também a discordância;

Sociedade:
25. Entre mais em contato com sua família;
26. Dê algo de bom aos outros diariamente;
27. Perdoe a todos por tudo;
28. Passe tempo com pessoas acima de 70 anos e abaixo de 6;
29. Tente fazer sorrir pelo menos três pessoas por dia;
30. Não te diz respeito o que os outros pensam de você;
31. O seu trabalho não tomará conta de você quando estiver doente. Os seus amigos o farão. Mantém contato com eles.

A Vida:
32. Faça o que é correto;
33. Desfaça-se do que não é útil, bonito ou alegre;
34. DEUS cura tudo;
35. Por muito boa ou má que a situação seja.... Ela mudará...
36. Não interessa como se sente, levanta, se arruma e aparece;
37. O melhor ainda está para vir;
38. Quando acordar vivo de manhã, agradeça a DEUS pela graça.
39. Mantenha seu coração sempre feliz.

Por último:

40. Recicle seus hábitos e faça 2014 ser ainda melhor que 2013!!!!

Um grande e fraternal abraço
Equipe Reciclando Hábitos

terça-feira, 13 de agosto de 2013

A Internacionalização da Amazônia - Resposta do Professor Cristovam Buarque a um jovem americano

Durante debate ocorrido no mês de Novembro/2000, em uma Universidade, nos Estados Unidos, o ex-governador do Distrito Federal, Cristovam Buarque (PT), foi questionado sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia. O jovem introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um humanista e não de um brasileiro. Segundo Cristovam, foi a primeira vez que um debatedor determinou a ótica humanista como o ponto de partida para a sua resposta:


"De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a   internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso. Como humanista, sentindo e risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, posso imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a Humanidade. Se a Amazônia, sob uma ótica humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro. O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço. Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser internacionalizado.

Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país. Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação. Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França. Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural amazônico, seja manipulado e destruído pelo gosto de um proprietário ou de um país.

Não faz muito, um milionário japonês, decidiu enterrar com ele um quadro de um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado. Durante este encontro, as Nações Unidas estão realizando o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu acho que Nova York, como sede das Nações Unidas, deve ser internacionalizada. Pelo menos Manhattan deveria pertencer a toda a Humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza específica, sua história do mundo, deveriam  pertencer ao mundo inteiro. Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maior do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil. Nos seus debates, os atuais candidatos à presidência dos EUA têm defendido a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida.

Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do mundo tenha possibilidade de ir à escola. Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro. Ainda mais do que merece a Amazônia. Quando os dirigentes tratarem as crianças pobres do mundo como um patrimônio da Humanidade, eles não deixarão que elas trabalhem quando deveriam estudar; que morram quando deveriam viver. Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo. Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia seja nossa. Só nossa."

(*) Cristóvam Buarque foi governador do Distrito Federal (PT) e reitor da Universidade de Brasília (UnB), nos anos 90. É palestrante e humanista respeitado mundialmente.


Vídeo sobre o tema